Arrependimentos

nature, sunset, person

Enquanto caminhava sorridente naquele dia chuvoso eu o vi por trás da vitrine de uma loja pouco movimentada. E então eu sorri.

Sempre achei que o rancor não faz bem, então eu nunca o guardei. Nem teria sentido guardar rancor dele, afinal a errada daquela história era eu. Sim, eu me arrependia. Não me arrependia por não ter dado certo entre nós, me arrependia por ter sido tão dura, tão imatura. Me arrependia por ter machucado alguém que não merecia ser machucado.

Sinceramente eu não faço a mínima ideia do porquê de ter aceitado aquela proposta. Talvez pela pressão que colocavam sobre mim. Talvez pela curiosidade. Não sei. Mas o fato é que eu era imatura demais para estar em um relacionamento e por isso te feri. Nunca fomos muito próximos antes daquilo, nem ao menos o considerava um amigo. Um colega, talvez. Eu gostaria de ter acabado com aquilo de forma correta e verdadeira, mas como eu disse, eu era imatura.

Gostaria de pedir desculpas a ele, mas me falta coragem e maturidade para entrar dentro dessa loja de quinquilharias e botar tudo para fora. E acho que ele também é imaturo demais para aceitá-las de qualquer forma. Quem sabe no futuro sejamos maduros o suficiente para lidar com isso.

Sabe, eu não me arrependo disso. Não me arrependo de ter começado e muito menos de ter acabado com isso. Levo a nossa curta história como aprendizagem, como experiência. Espero que eu realmente tenha aprendido a lição e que não volte a cometer os mesmos erros que cometi.

Percebi que estava parada na calçada encarando a vitrine quando ele se virou e me encarou. Eu dei um sorriso amarelo e continuei meu caminho acompanhada de meu guarda-chuva vermelho.


Autora: Larina                                                                             

3 comentários:

  1. Que texto lindo. adorei e já estou seguindo aqui.
    bjuxx
    http://www.taayvargas.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. obrigada:3 vou dar uma passadinha lá

      Excluir

© Exalando Purpurina - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Lorena Vieira.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo